#Finanças

Independência financeira: dois caminhos possíveis

O sonho de uma vida livre de preocupações, com liberdade para boas escolhas, está no radar de quase todo mundo. Quem não tem o desejo de acumular riquezas suficientes para curtir o quanto antes o dolce far niente, o ócio prazeroso e relaxante? Foi essa perspectiva que me motivou a ir em busca da minha independência financeira o mais cedo possível.

A lógica para esse objetivo é relativamente simples. Basta seguir um modelo de sobras regulares de dinheiro, de boas escolhas de investimento e de perseverança ao longo dos anos que a independência financeira será alcançada. Falo por experiência – não só minha, mas de centenas de clientes e alunos.

Mas, apesar disso, infelizmente, a maioria das pessoas falha nesse processo. E a falta de planejamento e cuidados no dia a dia não só impede a independência financeira, como costuma gerar resultados dramáticos para quem se insere nessa realidade.

Por exemplo: quantas pessoas você conhece que passaram a vida toda trabalhando e, lá na frente, precisaram se livrar do patrimônio acumulado para garantir uma vida minimamente confortável? Está mais para regra do que para exceção.

Mas como mudar isso? Como evitar que seus esforços não sejam em vão, e garantir a construção de um futuro rico, sem abrir mão da qualidade de vida presente?

Os caminhos para a independência financeira

Se você quer conquistar a independência financeira, existem dois caminhos para seguir. E nenhum deles inclui ganhar na Mega-Sena.

O primeiro é o mais lógico. Comece a se organizar e estudar para conseguir poupar e investir com regularidade em aplicações rentáveis, conheça os diferentes mercados, acompanhe-os de perto e busque sempre otimizar sua carteira de investimentos. Esta é a melhor alternativa para atingir metas robustas mais rapidamente e garantir um futuro mais tranquilo.

Agora, se você não se vê fazendo isso hoje, tem uma segunda opção: continuar trabalhando. Mas não como empregado, como dono do seu próprio negócio.

Empreendedorismo

Quem trabalha para outra pessoa dedica todo o seu suor, inteligência e networking para enriquecer o patrão. Essa é a essência do capitalismo.

A maioria das pessoas é dependente do salário para pagar as contas, gasta mais do que ganha, não poupa e se aposenta com o padrão de vida muito abaixo daquele dos tempos de bonança, como eu enfatizei acima. Por esse motivo, considero o salário uma indenização ao trabalhador pelo tempo dedicado ao enriquecimento do patrão.

Digamos que você busque um rendimento mensal de R$ 4 mil para a sua aposentadoria. Com R$ 1 milhão acumulado ao longo de anos de planejamento, você provavelmente vai conseguir esse dinheiro a partir da rentabilidade em algum investimento de renda fixa.

Agora, se esse planejamento não foi feito, você pode, por exemplo, obter esse dinheiro a partir dos lucros de uma franquia bem-sucedida, que pode ser adquirida por menos de R$ 100 mil. Claro, não vai haver mágica nesse processo. Você precisará pesquisar, estudar o mercado e manter-se atualizado para ser bem-sucedido. Mas, sem dúvida, é uma opção para garantir um futuro mais confortável para você e sua família.

A independência financeira está ao alcance de todos. Por isso, não se resigne diante das dificuldades, nunca desista de construir um futuro generoso. Assumir as rédeas da sua vida só depende de você e de suas escolhas.

Postado em 18/07/2018
Compartilhe