#Finanças

O que fazer para quitar a dívida do cheque especial?

O assunto dívidas está entre os mais abordados em meus vídeos e textos. Milhões de brasileiros perdem o controle sobre o orçamento doméstico e têm de arcar com pendências financeiras. Dentre os diversos tipos de endividamento com os quais as pessoas lidam no dia a dia, uma das mais temidas é o cheque especial. Os elevados juros que incidem sobre essa modalidade de concessão de crédito podem ser devastadores se não forem controlados a tempo. A questão é: vale a pena quitar dívida no cheque especial vendendo um bem de consumo?

A reflexão que proponho hoje tem como objetivo esclarecer essa dúvida recorrente. Muitos concluem que o caminho mais curto e inteligente para acabar com o pesadelo do cheque especial é se desfazer de algo. Um carro quitado, por exemplo, pode ser convertido em um montante suficiente para encerrar os débitos. Mas essa ideia não pode ser encarada apenas como uma forma de pagar a conta. Os benefícios dessa iniciativa costumam ir além.

A reflexão deve ser ampla

Para aprofundar o tema, vou focar no questionamento de uma seguidora. Sua sugestão era vender o carro quitado e comprar um de menor valor para sanar a dívida do cheque especial. Primeiro ponto: o carro não precisaria estar totalmente quitado. Se ele estivesse parcialmente pago, seria possível alienar o bem junto ao banco para refinanciar o valor restante. Trata-se de um empréstimo com o automóvel em garantia, com a vantagem de ter juros mais baixos do que em um empréstimo pessoal.

No entanto, o ponto principal desse tema reside no estilo de vida adotado pela pessoa que teve de recorrer ao cheque especial. Escolhas mal pensadas explicam a necessidade de adotar tal medida emergencial diante de débitos pendentes. No caso de minha seguidora, a troca de carro por um modelo abaixo do padrão atual é certamente o caminho mais correto não apenas pela possibilidade de acabar com a dívida, mas também de ter um estilo de vida mais simples. Esse ajuste no planejamento financeiro reduzirá as chances de um reaparecimento da necessidade de recorrer ao cheque especial futuramente.

Fuja do cheque especial!

Costumo bater na tecla de que o planejamento financeiro é decisivo na busca por uma vida mais equilibrada. Quem se organiza para não gastar mais do que recebe evita surpresas desagradáveis ao final do mês. Mais do que isso, essa postura consciente na relação com o dinheiro evita dores de cabeça que podem sair do controle. A maior delas atende pelo nome de cheque especial.

Se você já teve de encarar esse fantasma em algum momento, sabe bem como os juros elevados são difíceis de controlar. Por conta disso, recomendo ter um bom planejamento. Se as coisas fugirem do controle, seja ágil para apertar o orçamento doméstico a fim de quitar esse débito o mais rápido possível.

A conclusão é: quitar dívida no cheque especial vendendo um bem de consumo pode funcionar como um ponto de virada na vida financeira. A adequação a um padrão de vida mais simples flexibilizará as escolhas e ajudará você a evitar deslizes que levam à ações de desespero.

Postado em 13/06/2018
Compartilhe