#Finanças

Vale a pena comprar um carro?

Costumo dizer que o bom planejamento financeiro é resultado direto de escolhas feitas de forma consciente. Uma das escolhas que tem deixado as pessoas em dúvida é se, atualmente, vale a pena comprar um carro. Há alguns fatores a serem considerados para responder a essa questão. Dois deles são a existência de alternativas de locomoção e a desvalorização do automóvel.

Neste artigo, vou explicar como lidar com o item visto como sonho de muitos jovens e com a liberdade familiar. Comprar um carro vale a pena somente em casos específicos. Confira com atenção os fatores a serem considerados nessa equação.

Comprar um carro envolve custos consideráveis

A comparação entre carro próprio e outras opções de transporte não se resume ao dinheiro gasto na compra do automóvel. Certamente, esse valor já tem um impacto forte sobre o orçamento, ainda mais quando a escolha é pelo financiamento. O problema é que existem outros gastos com os quais nos comprometemos ao adquirir um carro.

Quem tem um automóvel, obrigatoriamente, deve arcar com o IPVA, combustível e gastos eventuais de manutenção. O recente aumento do preço da gasolina torna essa conta ainda mais proibitiva. Outro custo indireto que o automóvel traz é a sua desvalorização anual.

Quem comprar um carro por 50 mil reais hoje não conseguirá vendê-lo nem por 40 mil reais daqui dois anos. Essa conta se torna ainda mais cruel quando pensamos o que esses 50 mil reais poderiam render se estivessem aplicados em ativos de investimento. Essas razões caracterizam o automóvel como um item de luxo nos dias atuais, pois a perda de dinheiro é considerável.

Existem alternativas ao carro próprio

Dentre as revoluções tecnológicas recentes, os aplicativos de transporte são destaque. Uber, Cabify, 99, entre outras empresas, oferecem opções de deslocamento com conforto, rapidez e preço competitivo. A realidade já foi menos amigável com quem não tinha carro, pois as tarifas dos táxis eram mais caras. Assim, o sucesso dos aplicativos de transporte é um argumento contra a ideia de comprar um carro. Estes serviços garantem uma economia interessante.

Outra opção é o transporte público, mas sem o mesmo conforto e com maior gasto de tempo em muitos casos. No Brasil, infelizmente, o transporte público ainda deixa a desejar. Por isso, a balança pode pesar um pouco a favor do carro. A tendência é que o país evolua nesse aspecto com o passar dos anos.

(Em São Paulo, a linha 4-amarela é um dos trunfos de quem deseja uma evolução no transporte público)

Quando a conta fecha?

Talvez você esteja pensando que não vale a pena ter um carro de jeito nenhum. No entanto, há casos específicos em que esse pesado custo se paga ao final do mês. Famílias que fazem muitos descolamentos diários e têm de percorrer distâncias longas podem se beneficiar de um carro próprio. Em casos assim, comprar um automóvel é interessante mesmo que a família não tenha uma condição financeira tão confortável.

No fim das contas, ter o carro prórpio vale a pena? Na maioria dos casos, não. Tenha em mente que o automóvel se tornou um item de luxo, pois se desvaloriza rapidamente e traz consigo uma série de custos de manutenção.

Portanto, só faça a opção de comprar um carro se a sua rotina envolver muitos deslocamentos diários ou se você estiver com uma situação financeira consolidada.

Postado em 23/05/2018
Compartilhe